Pesquisar este blog

quinta-feira, 5 de maio de 2011

longe de casa
além do meu caminho -
um céu estrelado

*****

o dia se recolhe -
sigo meu caminho só
contando estrelas

*****

bem-te-vi canta
- espera e espera -
mas o dia finda

*****

vai sumindo
quanto mais me afasto
a garça branca

*****

de repente
neste final de tarde -
o céu mais profundo

*****

em sua solidão
no crepúsculo do rio
desaparece a gaivota

*****

galhos do plátano -
se vê neles toda estação
ao sopro do vento

*****

entardecer -
minha sombra se afoga
nas ondas do mar

*****

à beira da praia
cansado da vida deixo
o tempo passar

*****

janelas de casa:
numa - meu novo cachorro
noutra a lua cheia

*****

entre nós agora
o farfalhar das folhas
e o som da chuva

*****

sob a névoa fria
pelo charco se espalha
a silhueta do arrozal

3 comentários:

  1. Muy bonito como siempre.
    Gracias por compartirlo.
    Abrazos.

    ResponderExcluir
  2. en este verde
    y vidriado tejado
    brotan los versos

    besos*

    ResponderExcluir
  3. vaivém das marés —
    nenhum indício de mim
    nas areias frias

    ResponderExcluir