Pesquisar este blog

terça-feira, 9 de agosto de 2011

regresso -
muitas folhas na varanda
na noite gelada

****

entre as garças
ao final das docas
um homem sozinho

****

jardim de casa -
paira entre os ramos
a chuva de agosto

****

canteiro central -
as azaléias ocupam
o lugar que pertencem

****

pé de jambolão -
talvez a brisa me mostre
o voô dos pássaros

18 comentários:

  1. Tão simples e ao mesmo tempo tão belo. Adorável. Tem msn? Beijos.

    Au revoir :)

    ResponderExcluir
  2. Adorei o seu comentário no devaneios. Belo poema! Obrigada por tão agradável visita. Abraços!

    ResponderExcluir
  3. ...a mãe cultivava azaléias... como são frágeis e de uma delicadeza requintada e simples ao mesmo tempo, são as mães de tão belas e de tão força que possuem na beleza. Assim como sua poesia que você germina!

    ResponderExcluir
  4. maravilhosa sua poesia! Especialmente a que deixou no SEMENTE DE AMORA. Obrigada!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Boa noite!

    Desculpe adentrar em teu espaço, mas como era um seguidor do blog Fragmentos de cristal, venho aqui comunicar o novo link do blog, para que possa atualizar em sua lista.

    Novo link:
    http://transformacoesdeatena.blogspot.com

    Saudações!

    ResponderExcluir
  6. É bom ser bem recebido de volta.

    ;)

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  7. Gostei do seu regresso com garças sobrevoando sobre as azaléias e depois ao pé de Jambolão.

    Me permiti postar trechos do seu Poema para Fukushima no meu blog.

    Um abraço

    ResponderExcluir
  8. espero que a brisa mostre :)

    ResponderExcluir
  9. Muitas Vezes Deus Tira Alguem Que
    Amamos Tanto.
    Mais Esse Mesmo Deus Traz Alguem
    Que Aprendemos Amar..
    Por Isso NÃo Devemos Chorar
    Pelo Que Nos Foi Tirado
    E Sim ..Aprender A Amar O
    QUE Nos Foi Dado ..
    Nada Que È Nosso Vai Embora Para Sempre.
    A Você Com Muito carinho um
    feliz Domingo (DIA DOS PAIS)
    Beijos No Coração.
    Evanir

    ResponderExcluir
  10. Que belo texto. Sempre é bom voltar pra casa, ainda mais entre voo de garças, chuva de agosto.Adorei conhecer seu blog, e estarei te seguindo, venha conhecer meu blog e siga-me se gostares.
    Desejo um ótimo final de semana cheio de muitas coisas abençoadas e muito feliz.
    Beijos !
    Smareis

    ResponderExcluir
  11. Mármore cinza enegrecer de dor? vc viu muito bem! Você é muito generoso em não economizar palavras pra comentar com poemas maravilhosos escritos por um leitor atento nos blogues de seus seguidores (vi o seu poema no blogue da Raíssa também. Sim, e pensei, também quero, hehe) - Obrigada. Seus poemas daqui do Telhado de vidro também são ótimos e adorei o nome do blogue. Agora vou conhecer seu outro blogue. Beijos e tudo de bom pra vc!

    ResponderExcluir
  12. Seu blog é muito interessante...
    .. Tenha um Lindo Dia!
    Siga meus Blogs: http://cartasdeumcoracao.blogspot.com/
    E http://deusemminhaalma.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  13. um olhar atento
    e sensível
    ...


    forte abraço,
    camarada.

    ResponderExcluir
  14. belo poema. toca-se com a saliva dos olhos dos tatos da audição, a imaginação de paisagem que nele abraços, no aberto.
    saudações,
    l

    ResponderExcluir
  15. Bela série, meu caro. Conhecendo hoje o seu espaço e me encantando com o mesmo. Abraços!

    ResponderExcluir
  16. as chuvas de agostos vão explodir em setembro!

    ResponderExcluir
  17. E as poesias nos torna melhores do que somos.

    Beijos e obrigada pela visita!

    Volte sempre que sentir vontade.

    ResponderExcluir
  18. Passando pra dar um alo.
    Aguardando novas postagens.

    Curte minha pagina la no facebook, por favor
    http://www.facebook.com/loucoepolemico

    ResponderExcluir